IaraChat

Google Bard

Google Bard no Brasil – O Concorrente do ChatGPT

Por: Leonardo Pabon

O Google Bard finalmente chegou ao Brasil em julho de 2023 e agora fala português. Ele foi treinado em uma vasta gama de dados de texto e código, o que permite que ele gere textos, traduza idiomas, crie conteúdo diversificado e muito mais. Durante muitos anos, o Google foi visto como a principal potência de inteligência artificial (IA) do mundo. Isso mudou quando a Open AI revolucionou o segmento ao apresentar o ChatGPT no final de 2022. O lançamento do Bard é então um importante passo estratégico do Google para recuperar sua liderança no mercado de IA.

Conheça o Google Bard

O que é o Google Bard? Assim como o ChatGPT, ele é um modelo de linguagem avançado treinado em uma quantidade massiva de dados. Isso o torna capaz de gerar respostas textuais humanas a partir de entradas feitas por usuários.

Por trás dele, está o LaMDA, um avançado modelo de linguagem natural, especializado em diálogos. Ele consegue ler textos, associar palavras e prever a próxima em uma sequência. Seu treinamento em conversas permite captar nuances e gerar respostas relevantes, desafiando a linha entre homem e máquina.

Segundo o Google, o Bard ainda está em desenvolvimento. Por isso, ainda pode gerar respostas incorretas escritas de uma forma convincente. Isso abre uma ampla discussão a respeito das consequências da desinformação que pode propagar, levantando questões éticas relevantes. Esses erros são chamados de alucinações e também afetam o ChatGPT.

Apesar de ser baseado no LaMDA, o Bard foi aprimorado para ser mais útil e informativo. Aqui estão alguns exemplos do que ele pode fazer:

  • Tradução: é capaz de traduzir um texto de um idioma para outro.
  • Escrita criativa: cria diferentes tipos de conteúdo criativo, como poemas, códigos, scripts, peças musicais, e-mails e cartas. Isso é útil para escritores, poetas, desenvolvedores e artistas que precisam de inspiração.
  • Pesquisa: responde perguntas com os dados de treinamento e também pesquisa informações online na internet, o que é útil para estudantes, pesquisadores e outras pessoas que precisam encontrar informações atualizadas sobre um determinado tópico.

Para acessá-lo, basta pesquisar por “Bard” no site do Google ou usar o aplicativo do Google Assistant.

A história do Google Bard

A história do Bard é curiosa e cheia de idas, vindas e indecisões por parte do corpo executivo da big tech. Conheça então uma breve história dos chatbots inteligentes no Google. 

Meena

Sua história começa em 2020, quando o Google apresentou um chatbot superior a todos os outros existentes, com uma rede neural de 2,6 bilhões de parâmetros. A equipe do Google Brain responsável pelo Meena tentou lançá-lo ao público, mas executivos recusaram, alegando que ele violava os “princípios de IA em torno de segurança e equidade” da empresa. Depois ele foi renomeado para LaMDA na medida em que a sua capacidade de processamento aumentou. Houve então uma nova tentativa de lançá-lo no Google Assistant, mas sem sucesso. A situação levou os principais pesquisadores do LaMDA, Daniel de Freitas e Noam Shazeer, a deixarem a empresa.

LaMDA

Em 2021, o Google anunciou no Google I/O o LaMDA, um grande modelo de linguagem conversacional impulsionado por inteligência artificial. Ele era baseado na arquitetura Transformers desenvolvida pelo Google Research em 2017. O LaMDA foi treinado em diálogos e histórias humanas, permitindo conversas abertas. Por ter acesso a vários sistemas de processamento de texto simbólico, ele foi um dos primeiros chatbots de processo duplo. Ou seja, um dos primeiros a ter uma capacidade associativa implícita e outra de raciocínio explícita.

Em 11 de maio de 2022, o Google revelou o LaMDA 2 na keynote do Google I/O. A nova versão do modelo formulava “conversas naturais” únicas sobre tópicos para os quais não teria sido treinado, utilizando exemplos de texto de diversas fontes.

Uma Inteligência Artificial consciente?

O LaMDA 2 era um salto tão grande que, em junho de 2022, o engenheiro do Google Blake Lemoine fez a afirmação polêmica de que ele havia se tornado senciente. Esta alegação surgiu depois que o chatbot apresentou respostas questionáveis a perguntas sobre auto-identidade, valores morais, religião e as Três Leis da Robótica de Isaac Asimov. O Google refutou essas afirmações e insistiu que havia evidências substanciais para indicar que o LaMDA não era senciente. Contudo, Lemoine manteve suas afirmações e foi demitido por violar as políticas para proteger informações de produtos.

As afirmações de Lemoine foram amplamente rejeitadas pela comunidade científica. Vários especialistas ridicularizaram a ideia de que um modelo de linguagem pudesse ter autoconsciência. O debate gerado também levou à reflexão sobre a utilidade do teste de Turing para determinar o progresso em direção à inteligência artificial geral.

Este incidente levou o Google a decidir não lançar o LaMDA ao público, apesar de anteriormente ter considerado fazer isso. Em novembro de 2022 muda tudo: a OpenAI sacode o mercado de inteligência artificial com o lançamento do ChatGPT. Após anos de indecisão, o Google viu sua posição de liderança em IA ser desafiada.

Google Bard

Em 7 de fevereiro de 2023, finalmente ocorreu a divulgação de um chatbot baseado no LaMDA 2, chamado Bard. Coincidência ou não, esse foi o mesmo dia em que a Microsoft anunciou a integração do ChatGPT ao Bing e outros produtos.O time do Bard mostrou durante a divulgação uma imagem em que ele responde uma pergunta sobre descobertas recentes do Telescópio Espacial James Webb (JWST). O chatbot respondeu que o JWST tirou as primeiras fotos de um exoplaneta, isto é, um planeta fora do nosso sistema solar. Mas a Reuters destacou a imprecisão dessa informação, já que as primeiras imagens de exoplanetas foram capturadas pelo Very Large Telescope em 2004, como confirmado pela NASA.

Google Bard
Imagem: GIF sobre o Bard divulgado pelo Google em 7 de fevereiro de 2023

Como consequência desse erro, o Google mais uma vez adiou o lançamento do seu chatbot inteligente, o que levou a controladora Alphabet a perder mais de 100 bilhões de dólares no seu valor de mercado.

O Bard passou por mais testes e aprimoramentos até ser lançado em 21 de março de 2023 nos Estados Unidos e mais alguns países. Após um período de ajustes para o contexto do português, em 12 de julho finalmente chegou a versão brasileira.

Conclusão

O Google teve durante anos muito a chance de ser o líder do mercado em chatbots inteligentes. Mas, por suas próprias questões, perdeu o timing e a Open AI tomou a liderança.

O Bard é uma ferramenta útil que tem o potencial de melhorar a vida das pessoas de diversas maneiras. Ele ainda está em desenvolvimento e certamente terá atualizações constantes que podem levá-lo a se tornar a melhor ferramenta do mercado.

Gostou do conteúdo? Continue com:

Assine nossa newsletter
com conteúdo exclusivo.

Aprenda inglês de maneira simples e rápida. Você quer aprender...

Entendendo GPT e IA de Linguagem Natural: Uma Visão Simples...

plugins premium WordPress